Conheça as moedas criptografadas e como elas revolucionaram o mercado financeiro

As criptomoedas são moedas virtuais que usam a criptografia para garantir o padrão de segurança nas transações feitas pela internet. Sendo assim, as moedas criptografadas funcionam como números de série em cédulas para impedir falsificações.

Dessa forma, os sinais ocultos nas moedas são códigos difíceis de alterar. Assim, essa operação é possível por conta do blockchain, uma tecnologia que atua como uma espécie de livro contábil.

Portanto, as transações e registros são gravadas e ficam espalhados por diversos computadores. Dessa forma, as transações conjuntas são trancadas pela criptografia. Como resultado, garantem o anonimato de quem as realiza.

 

Quando foi criada a moeda criptografada Bitcoin

A criptomoeda Bitcoin foi criada no ano de 2009 por Satoshi Nakamoto. Contudo, sua identidade e localização não podem ser confirmadas com certeza e seu nome pode ser somente um pseudônimo.

Naquele momento, a grande decepção dos clientes com os bancos e maneiras de realizar as operações foi a mola propulsora para criar a primeira moeda virtual da atualidade.

Todavia, os bancos tentavam lucrar com clientes incapazes de pagar pelos empréstimos e criavam títulos no mercado financeiro. Assim, esses títulos eram vinculados nas hipotecas e vendidos a outras instituições.

Assim, a Bitcoin surgiu como uma oposição ao sistema financeiro convencional. Dessa forma, seu objetivo era tornar o vendedor da moeda criptografada a pessoa mais importante da transação.

 

O que é a encriptação de uma moeda

Primeiramente, uma moeda criptografada não é somente encriptada. Todavia, esse processo é complexo nas transações, pois seu suporte atual é um sistema especial. Ou seja, o blockchain.

Contudo, esse sistema tecnológico chamado de blockchain possui uma série de colaboradores que operam juntos para fazer as transações funcionarem corretamente no sistema.

Dessa forma, é assegurado que todas as informações dos usuários serão mantidas em um local à parte. Assim, o sistema dificulta o trabalho de qualquer hacker.

 

Moedas criptografadas e o sistema público

A princípio, as criptomoedas são públicas. Ou seja, todas as transações são feitas de forma transparente e estão disponíveis caso os envolvidos sejam anônimos. Dessa forma, fica nítida a importância de uma moeda ser criptografa.

Nesse sentido, é difícil conseguir fraudar esse sistema. Além disso, as transações são irreversíveis. Logo, não há como solicitar o reembolso do dinheiro.

 

Descentralização de moedas criptografadas

O sistema das moedas criptografadas é totalmente descentralizado. Nesse sentido, é composto por uma série de servidores que estão espalhados ao redor do mundo.

Atualmente conta com cerca de 10 mil aparelhos que englobam o sistema e acompanham todas as transações realizadas diariamente. Assim, se algo acontecer com um dos servidores, os outros podem recuperar o momento onde o outro parou.

Em outras palavras, é difícil hackear os servidores das moedas criptografadas. Isso porque não há nada que alguém possa roubar e que os demais servidores não possam impedir.

 

Como as moedas criptografadas são emitidas?

As moedas criptografadas foram criadas por programadores. Ou seja, são emitidas através de programas de mineração digital que efetuam transações para resolução de problemas matemáticos.

Sendo assim, qualquer um pode tentar solucionar tais resoluções. Portanto, as moedas virtuais são geradas através de um método público.

Porém, o criador da moeda tem preferência em relação aos outros usuários do sistema. Dessa forma, ele concentra a maior parte das moedas criptografadas geradas.

 

Quais as vantagens das moedas criptografadas

Atualmente, o mercado financeiro foi revolucionado pela criação das moedas criptografadas. Contudo, elas podem apresentar vantagens e desvantagens para os investidores.

Nesse sentido, analisemos as vantagens de investir em moedas criptografadas:

  • Onipresença: as criptomoedas nunca são atreladas a um país ou instituição financeira e são aceitas em todo o mundo;

 

  • Segurança: as moedas criptografadas são descentralizadas. Ou seja, não possuem uma entidade que as controle;

 

  • Ganhos mensuráveis: as moedas criptografadas têm um grande potencial de ganhos. Ou seja, se torna rentável caso o investimento seja feito no momento certo;

Todavia, as moedas virtuais também apresentam algumas desvantagens. Por exemplo:

  • Desregulação: por conta da descentralização, caso o usuário perca seus investimentos, é provável que a vítima não recupere o valor furtado pois não há para quem pedir ressarcimento;

 

  • Complexidade: a compra de moedas criptografadas exige conhecimento de conceitos e plataformas novas que nem todos conhecem ou tem acesso;

 

  • Tempo para as transações: Para quem está habituado ao uso de cartões de crédito, a espera para concluir a transação de moedas criptografadas pode ser demorada e frustrante para o usuário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui