Você conhece o que é o fluxo de renda? Ele expõe como a economia se movimenta e quais as relações envolvidas nas transações de dinheiro e mais.

O que é o fluxo circular de renda?

O fluxo circular de renda, também conhecido como fluxo circular de riqueza se trata de um modelo econômico capaz de representar as relações que se dão no mercado e seus principais envolvidos. 

De modo geral, é um tipo de diagrama que expõe o fluxo de dinheiro, bens e de serviços prestados que podem ocorrer entre diferentes empresas, famílias, bancos ou outras instituições financeiras, governos, entre outros.

Em relação a macroeconomia, os principais agentes são:

– O mercado de bens e de serviços prestados: onde têm-se os bens e os serviços prestados adquiridos por famílias e indivíduos como consumidores.

– O mercado de meios de produção: os meios podem ser o trabalho, o capital que podem ser oferecidos pelas famílias e indivíduos contratados por empresas.

E é por causa disso que é possível perceber dois tipos de fluxos:

– O fluxo real: diz respeito aos bens e serviços prestados pelas empresas em relação às famílias e indivíduos consumidores, que são pagos pelos meios de produção.

– O fluxo monetário: diz respeito ao dinheiro circulante associado à renda para famílias e receita para as empresas.

Como o fluxo real e monetário funcionam?

Bem, o fluxo real e o fluxo monetário são conceitos que representam a economia. O modelo real diz respeito aos bens, serviços prestados e fatores de produção. 

E é nesse tipo de fluxo que as empresas passam os bens e os serviços prestados para famílias e indivíduos consumidores através das vendas.

Por outro lado, o fluxo monetário diz respeito aos preços e rendas de forma totalmente exclusiva. O pagamento é efetuado pelas famílias e indivíduos consumidores pelos serviços prestados e pelos bens oferecidos às empresas. 

Qual é a importância do fluxo circular de renda?

Bem, historicamente falando, o primeiro fluxo circular de renda foi originado em 1730, através de Richard Cantillon. 

Conforme o tempo passou, outros pensadores começaram a modificar esse primeiro fluxo circular de renda e por causa disso, atualmente tem-se um diagrama que possui até 5 setores:

1 – Setor doméstico: refere-se às famílias e indivíduos

2 – Setor produtivo: refere-se às empresas, comércios e serviços que são prestados

3 –  Setor financeiro: refere-se aos bancos e semelhantes que proporcionam crédito  

4 – Setor governamental: refere-se às atividades provenientes de governos municipais, estaduais e federais.

5 – Setor externo: refere-se a economia globalizada

O fluxo circular de renda e as empresas

Se você está se perguntando como o fluxo circular de renda afeta as empresas a resposta está aqui:

É de extrema importância que as empresas conheçam as influências que o seu negócio acaba causando na economia local, na economia do estado, do país e do mundo.

Então, para isso ocorrer é necessário que o empresário realize uma análise do ambiente e do cenário da economia em que está inserido. 

Portanto, esse tipo de análise é chamado de Análise do Ambiente de Negócios. E, dessa forma, os cenários da economia como: a política, a cultura, a demografia fazem parte do macroambiente. 

Por outro lado, as interações entre atores industriais fazem parte do microambiente.

E tudo isso deve ser avaliado eficientemente na etapa que tem como título Planejamento Estratégico.

É a partir do planejamento estratégico que você perceberá as oportunidades rentáveis e as ameaças existentes no ambiente externo.

Desse modo é possível evitar riscos, identificar as necessidades do público e buscar as melhores soluções para elas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui